top of page
  • Foto do escritorCris Jardim

Vinho na lata : marca catarinense defende a informalidade na bebida e conquista o Brasil

People Wines está em 200 pontos de venda no Sul, Sudeste e Nordeste com quatro opções da bebida na embalagem pouco usual para vinhos, mas muito presente na vida dos brasileiros

O vinho está comumente associado à mesa posta, rótulos clássicos e taças de cristal no imaginário dos brasileiros. Mas esse conceito vai se ampliar, no que depender da People Wines. A marca catarinense criada em 2021 chega ao mercado já com uma provocação: os vinhos tinto, rosé, branco e prosecco estão disponíveis em latas. Já são 200 pontos de venda físicos em estados das regiões Sul, Sudeste e Nordeste. A criadora da marca é Andreia Micheluzzi, chef de cozinha, sommelière de vinhos pela Associação Brasileira de Sommeliers (ABS) e formada internacionalmente na área pela Wine & Spirit Education Trust (WSET), escola inglesa considerada uma das mais importantes do universo dos vinhos. Foi desta formação, em Londres, que ela trouxe a ideia da People Wines. “Ao me deparar com vinhos em lata por lá, me peguei com várias dúvidas sobre o produto. Conforme fui fazendo a análise destes produtos, me dei conta de que não só há um paradigma a ser quebrado - o fato de estarem na lata não prejudica a qualidade do vinho - como este produto tem tudo a ver com o mercado brasileiro, que é muito ambientado com o consumo de latas em cervejas, refrigerantes e energéticos, por exemplo”, diz. A partir do conceito de vinhos na lata, Andreia desenvolveu todo o posicionamento da marca, que defende a descomplicação do consumo de vinhos em vários sentidos. “O público mais jovem tem dificuldade em se conectar com o vinho por conta da postura muito técnica e formal que a bebida assumiu. Nosso objetivo é contribuir para mudar isso: a People Wines tem uma postura mais acessível e divertida. É possível consumir em qualquer lugar, com qualquer taça ou mesmo na própria lata”, reforça a sommelière. Isso é reforçado também na identidade visual, que brinca com um personagem central de terno, sofrendo interferências de colagens e grafite. Atualmente são quatro rótulos disponíveis em latas: tinto, rosé, branco e prosecco. As latas são de 269ml e são comercializadas individualmente e em embalagens com seis unidades. Pequenas doses e uso em coquetéis também motivam consumo Segundo Andreia, também motiva o foco em latas o consumo de pequenas doses. “As tendências apontam para o aumento de pessoas que moram sozinhas e para quem, portanto, uma garrafa pode ser um volume muito grande para um consumo imediato. Para elas, uma lata é uma dose que possibilita não abrir mão do prazer, sem o risco de desperdício”, comenta. O mesmo acontece com os coquetéis, em alta no mercado nacional. “Há drinks clássicos que levam, por exemplo, uma dose de prosecco. Manter uma garrafa à disposição com esse objetivo pode fazer com que a qualidade se perca. Também neste sentido a lata de 269ml é um produto muito compatível”, finaliza. Mais informações estão no site www.drinkpeople.com.br.


Foto: divulgação


Comments


bottom of page