top of page
  • Foto do escritorCris Jardim

Dicas para harmonizar doces juninos com vinhos

Sommelière da Wine explica como incluir vinhos e espumantes nas eventos de festa junina 



Harmonizar doces juninos com vinhos é um desafio que exige experimentação e criatividade. A doçura dos vinhos deve ser cuidadosamente equilibrada com a intensidade e os sabores característicos dos doces típicos, como maçã do amor e quindim. Este processo envolve experimentar e identificar vinhos que não apenas complementam estes sabores, mas também realçam os aromas e sensações de cada doce. 


Em harmonizações com doces, a bebida tende a aparecer menos doce, mais ácida e menos frutada, por isso, de acordo com Marina Bufarah de Souza, sommelière da Wine, o maior clube de assinatura de vinhos do mundo, a recomendação é apostar em rótulos aromáticos e específicos para doces e sobremesas. “Na hora de combinar vinho e comida, a recomendação é sempre buscar elementos aromáticos em comum entre o líquido e o prato. Por exemplo, a paçoca e o pé de moleque podem ser apreciados com vinhos que tenham aromas de nozes, frutas secas e amendoim”, diz a sommelière. 


Confira a seguir algumas sugestões de harmonização entre vinhos e doces de festa junina e prepare a sua taça!


Maçã do Amor 

A icônica maçã do amor, com sua cobertura crocante de caramelo, não pode faltar numa festa junina tradicional. Unindo doçura e frescor, pode ser harmonizada com o vinho branco argentino Portillo Valle de Uco Sauvignon Blanc Dulce Natural 2022. Com frescor doce e notas de maçã verde, este vinho potencializa os sabores da fruta caramelizada, criando uma combinação irresistível.


Cocada 

O doce de coco ralado e açúcar, conhecido por sua textura e doçura inconfundíveis, faz uma boa dupla com um vinho branco meio seco, especialmente se ambos estiverem gelados. A dica de harmonização é o norte-americano Dark Horse Chardonnay 2019. Com aromas de coco queimado e baunilha, este exemplar não apenas complementa os sabores da cocada, mas também ajuda a limpar o paladar a cada mordida.


Pé de Moleque e Paçoca 

O pé de moleque e a paçoca possuem o mesmo astro, o amendoim. Apesar de texturas distintas, ambos podem ser saboreados na companhia do mesmo vinho. Para este doce, a sugestão é um rótulo português licoroso, o Porto Burmester 10 years Old Tawny 375 ml. Trata-se de uma bebida doce fortificada com aromas de frutas secas como nozes, avelã e mel, que combinam muito com a intensidade do amendoim. 


Quindim 

De herança portuguesa, o quindim é aquele doce produzido somente com as gemas do ovo. 


Esta é uma receita, que curiosamente tem uma conexão antiga com o mundo dos vinhos. “Como as claras de ovos eram utilizadas na clarificação dos vinhos, as gemas começaram a ser aproveitadas em outras receitas como o quindim para evitar o desperdício”, esclarece a sommelière. Para esta harmonização, a sugestão é um espumante chileno doce, o Espumante Dancing Flame Moscatel. Com aromas doces de flores, damasco e pêssego, é uma opção que acompanha muito bem este doce tradicional.  


Bolo de Milho 

O bolo mais tradicional na festa junina também pode ser aproveitado com vinhos, tornando a experiência mais festiva. A sugestão de vinho para a iguaria é o chileno Espumante Undurraga Demi-Sec. Um blend de Chardonnay, Sauvignon Blanc e Syrah que tem o frescor e a leveza certos para a harmonização com a massa de milho. 


Foto: divulgação

Comments


bottom of page