top of page
  • Foto do escritorCris Jardim

Vinho chileno que envelhece em barris de bourbon ganha importação no Brasil

Venus in Furs, da La Prometida, passa por quatro meses de envelhecimento em barris que foram usados para produzir whiskey com sabores e aromas marcantes


Uma etapa muito importante na produção de vinhos é o processo de “envelhecimento”, com o propósito de evoluir as percepções sensoriais da bebida, trazendo ou ressaltando aromas e trabalhando os taninos desse vinho. Existe um tipo de vinho no mercado que traz em si algumas características dos famosos bourbons americanos em sua composição por conta do seu processo de envelhecimento em barris que foram previamente usados para envelhecer bourbon whiskey (aqueles que têm 51% de milho em sua composição) e acabam proporcionando um vinho totalmente diferente e exclusivo.


O VENUS IN FURS , produzido pela Viña La Prometida, localizada no Vale do Maule, Chile, e importado para o Brasil pela MMV Importadora, é um exemplo dessa categoria de vinho. Composto por uvas 50% Cabernet Sauvignon e 50% Syrah, esse vinho passa por maceração pré-fermentativa de 25 dias a frio (de 4ºC a 10ºC) e fermentação com leveduras indígenas e metade das uvas com cacho inteiro.


Porém, o grande “segredo” está no processo de envelhecimento. Jonas Martins, sommelier e gerente comercial da importadora, explica que, na produção desse rótulo, a bebida passa por dois processos de envelhecimento em barril.


“Em um primeiro momento, o VENUS IN FURS fica por 14 meses em barril de carvalho francês de segundo uso e, depois, quatro meses em barril de Kentucky Straight Bourbon Whiskey, da destilaria Woodford, para finalizar o processo de envelhecimento”, explica Martins.

Jonas Martins

Esse curto tempo nos barris de Kentucky é o suficiente para alterar várias características desse rótulo. A primeira delas é o grau alcoólico da bebida. Ao final dos quatro meses, o vinho passa de 13,5% de teor alcoólico para 14,5%, por conta do álcool do whiskey que ficou incrustado na madeira. Isso faz com que essa bebida fique mais “quente”, mais alcoólica e com um peso e presença maiores.


Em relação aos aromas, é inevitável lembrar daquela presença de caramelo de whiskey, além de mel, carvalho tostado (lembrando a exemplares de cachaça brasileira), café e chocolate amargo.


Outra característica peculiar do VENUS IN FURS é o fato dele ser bem seco em boca, sem características adocicadas. “Existem alguns rótulos semelhantes de vinícolas da Argentina e dos Estados Unidos, que já estão à venda no Brasil, com características levemente adocicadas, quase que indo para o suave. O Vênus é bem sequinho em boca”, diz Jonas Martins. O sommelier ressalta que, assim como quem gosta de beber whiskey com gelo para refrescar a bebida , esse vinho também pode ser apreciado refrescado, obviamente sem o acréscimo de gelo mas a uma temperatura mais baixa.


E qual é o preço dessa experiência, digamos, singular dentro do mundo dos vinhos? O preço médio da garrafa do VENUS IN FURS será em torno de 150 a 170 reais, e ele poderá ser encontrado em restaurantes, wine bares e lojas especializadas em vinho. Um preço muito acessível para um produto que entrega tanto, seja por passar por todos esses processos diferentes, seja pela experiência de degustar um vinho com características de whiskey.


Apenas como curiosidade, vale lembrar que o famoso Jack Daniel’s não é um bourbon e sim um Tennessee Whiskey, já que pelas regras Code of Federal Regulation dos Estados Unidos existem alguns processos na produção do Jack Daniel’s que não atendem à regulamentação. Jim Beam e o citado Woodford, ambos do Kentucky, são clássicos Bourbon Whiskey.


Fotos: divulgação

Comentários


bottom of page