• Cris Jardim

SANTO GRAU APRESENTA ENVELHECIMENTO PELO MÉTODO SOLERA EM BARRIS DE JEREZ

Do mesmo jeito que uma série de destilados – uísque, tequila, rum – a cachaça também pode passar um tempo em barris ou dornas de madeira para conferir características bem especiais tanto no sabor quanto no aroma da bebida. A cachaçaria brasileira ainda sai na frente nesse quesito por ter uma diversidade muito rica de madeiras para essas práticas.


A Santo Grau possui duas linhas muito especiais de cachaças envelhecidas: Linha Reserva Santo Grau e Linha Raras Santo Grau. Com uma produção inovadora, a marca traz para o mercado como diferencial o envelhecimento com o tradicional sistema único de Solera em barricas que armazenaram vinhos Jerez da bicentenária empresa espanhola Osborne, que traz como resultado um dulçor natural das uvas para a cachaça.



Na Linha Reservas, a marca oferece dois rótulos: Santo Grau Reserva Itirapuã, uma cachaça tradicional do interior paulista envelhecida em um blend de carvalho francês e sherry oak casks que envelheceram vinhos de Jerez na Espanha, e Santo Grau Reserva Paraty, uma cachaça com as características de um terroir praiano envelhecida em barricas de carvalho francês especialmente selecionadas.


Já a Linha Raras traz a Santo Grau Solera Cinco Botas, uma cachaça de alambique envelhecida por meio do tradicional sistema único de Solera em barris (ou botas, em espanhol) que por anos armazenaram o clássico vinho de Jerez Oloroso da bicentenária empresa espanhola Osborne; e a Santo Grau Solera Pedro Ximenes, também é envelhecida pelo sistema de Solera em barris utilizados para a produção do mais antigo vinho de Jerez – o Pedro Ximenes – tendo como resultado uma aguardente naturalmente adoçada pela essência do vinho.

Sobre a Santo Grau

Criada em 1992, a Santo Grau tem em suas raízes o verdadeiro sabor brasileiro. A sua seleção é feita a partir dos melhores pequenos e tradicionais engenhos do país, valorizando cada origem e sua história, apostando na tradição passada de geração em geração através dos mestres alambiqueiros e suas famílias. Sua produção é totalmente artesanal seguindo a tradição de cada região produtora, a partir do plantio, colheita e moagem cuidadosa da cana, passando por métodos de fermentação tradicionais, usando fermento natural. Na destilação, feita em alambiques de cobre aquecidos pôr fogo controlado manualmente, aproveita-se em média 15% do volume inicial do fermentado de caldo de cana, o suprassumo do Coração da Cachaça. A Santo Grau carrega em seus rótulos o selo DOCG: Garantia de Alambicagem Controlada em Pequenos Engenhos. Isso significa que a cachaça é produzida de acordo com tradições locais, o que garante que a bebida que é servida é a tradicional e única de cada engenho produtor.

Serviço:

www.santograu.com.br

@cachacasantograu


Texto e fotos: divulgação