• Cris Jardim

MERCADO DE VINHOS 2021: venda de vinhos finosjá supera todo 2019

Nos sete primeiros meses de 2021, vinícolas brasileiras venderam quase 18 milhões de litros, o equivalente a mais de 15% do registrado de janeiro a dezembro de 2019


Apesar do mês de julho ter registrado uma queda de 33,04% nas vendas em relação ao mesmo mês do ano passado, a comercialização de vinhos finos brasileiros de janeiro a julho de 2021 já supera o volume comercializado nos 12 meses de 2019. De 15,4 mi de litros em todo ano retrasado, o setor comemora um salto para 17,8 mi de litros nos sete primeiros meses deste ano. Já o acumulado nos sete meses de 2020, de 14,6 mi de litros, passou para 17,8 mi de litros este ano, um aumento de 21,76%. A expectativa do setor é que a velocidade das vendas no mercado interno seja retomada, mantendo o bom momento vivido pelo vinho brasileiro até junho.

Para o presidente da União Brasileira de Vitivinicultura (Uvibra), Deunir Argenta, os dados mostram um avanço histórico, porém não determinante. “O brasileiro está degustando mais vinho e isso é muito bom. O mercado é plural, está abastecido por múltiplas marcas e estilos e as experiências são ilimitadas. Essa evolução é muito positiva, mas não conseguimos acompanhar o desempenho do ano passado”, destaca. Os 3,8 mi de litros de vinhos finos distribuídos no mercado interno em julho de 2020 caíram para 2,5 mi de litros no mesmo mês deste ano.




Julho foi o mês do espumante brut

Produto avança 37% em comparação ao mesmo período de 2020

O mês de julho, historicamente um dos tradicionais na venda de vinhos finos, registrou melhor desempenho percentual de vendas para os espumantes brasileiros do tipo brut com um incremento de 37,09% em relação ao mesmo mês de 2020, o que significa que a indústria está abastecendo o varejo com produtos para o verão.

Suco de uva lidera crescimento nas exportações

Incremento foi de 240% nos sete primeiros meses do ano, seguido pelos vinhos finos com 119%

O bom momento vivido pelo vinho brasileiro vai além fronteiras. Mas os holofotes estão voltados para o suco que de janeiro a julho alcançou um aumento de 239,70% de aumento no volume que saiu do Brasil, passando de 435.102 litros para 1,47 mi de litros. O quadro também é positivo em relação aos vinhos finos que dobraram as exportações passando de 2,1 mi de litros para 4,7 mi de litros no mesmo período, um incremento de 119,34%.

Mesmo com um desempenho menor, todavia positivo, estão os espumantes com 53,33% de acréscimo na presença no exterior, passando de 322.458 litros para 494.411 litros de 2020 para 2021.

COMERCIALIZAÇÃO DE VINHOS FINOS, ESPUMANTES E SUCO DE UVA ELABORADOS NO RIO GRANDE DO SUL – MERCADO INTERNO (litros)

* Suco de Uva (Natural/Integral, Reprocessado/Reconstituído, Adoçado e Concentrado)

Fonte: SISDEVIN/SEAPDR | Elaboração: Uvibra – Dados coletados em 25 de agosto de 2021.

Texto e fotos: divulgação