top of page
  • Foto do escritorCris Jardim

Espumantes premiados são de seis estados brasileiros

Das 505 amostras, 172 foram premiadas, sendo 13 com Medalhas Grande Ouro, 153 Ouro e seis Ouro Destaque


O marco histórico do 13º Concurso do Espumante Brasileiro não foi apenas a representatividade de inscrições de amostras, com 505 espumantes de oito estados brasileiros - Bahia, Espírito Santo, Minas Gerais, Paraná, Pernambuco, Rio Grande do Sul, Santa Catarina e São Paulo – mas também o reconhecimento da qualidade de rótulos além da tradicional fronteira gaúcha. De forma inédita no evento, rótulos de vinícolas de Minas Gerais, Pernambuco, Paraná, Rio Grande do Sul, Santa Catarina e São Paulo são as detentoras das 172 premiações, sendo 13 Medalhas Grande Ouro, 153 Ouro e seis Ouro Destaque.

Para o presidente da Associação Brasileira de Enologia (ABE), enólogo Ricardo Morari, este é um grande resultado que mostra como o espumante avança pelo Brasil, esbanjando toda sua qualidade e diversidade. Consagrado por 54 jurados, entre enólogos, sommeliers, jornalistas, escritores e influencers do mundo do vinho, o veredito foi brindado pela entidade que realiza o concurso com o propósito de promover a bebida. “Quando a ABE resolveu fazer o Concurso do Espumante Brasileiro, em 2001, pensou em um projeto capaz de colocar o espumante brasileiro na vitrine nacional e internacional. E é isso que estamos fazendo desde sempre. Ver esta evolução em todos os sentidos nos enche de orgulho. Que mais e mais vinícolas continuem participando, mostrando ao Brasil e ao mundo que os espumantes brasileiros são espetaculares”, destaca.

Não teve Medalha de Prata, nem de Bronze. Isso porque os 30% premiados – 172 espumantes - atingiram notas correspondentes a Medalhas Grande Ouro, acima de 93 pontos, e Ouro, de 89 a 92 pontos. O alto nível dos espumantes vem chamando a atenção dos organizadores nas últimas edições, o que os levou a aumentar em 1 ponto cada medalha e mesmo assim todos os laureados receberam Medalha de Ouro, ou seja, ficaram acima de 90 pontos. Aliás, conforme explica o presidente Morari, tiveram rótulos que obtiveram 89 pontos e mesmo estando aptos ao Ouro ficaram fora dos 30%. “O espumante nacional é um produto diferenciado, de excelência e que merece o nosso reconhecimento. O nível deste ano foi tão alto que, mesmo subindo as notas das premiações, os 30% ficaram com Ouro e Grande Ouro”.



Com atenção especial ao rigor técnico, o concurso não descuidou de nenhum detalhe no serviço da primeira à última garrafa, seja na limpeza das taças, seja na temperatura dos espumantes. A 13ª edição também chegou totalmente revitalizada em sua identidade, com uma linguagem moderna e descontraída, assim como o espumante brasileiro.

As 505 amostras desta edição foram inscritas por 93 vinícolas de oito estados. O júri precisou de 12 horas, entre os dias 27 e 28 de setembro, para avaliar às cegas amostra por amostra, seguindo normas internacionais estabelecidas pela Organização Internacional da Vinha e do Vinho (OIV). Participaram espumantes naturais que estão à venda no mercado, provenientes de uvas vitis viníferas, obtidos a partir de diferentes métodos, categorias: espumantes de segunda fermentação (Charmat e Tradicional) e espumantes de primeira fermentação (Moscatéis

PRÊMIO DESTAQUE SABRE DE OURO

O 13º Concurso do Espumante Brasileiro seguiu o formato da edição anterior, prevendo uma distinção especial concedida a espumantes que se sobressaíram em suas categorias. O objetivo foi exaltar ainda mais a produção nacional. O Sabre de Ouro foi entregue a seis espumantes, um em cada categoria. Para isso, ao final do concurso, foi realizada uma degustação de preferência às cegas entre os produtos que conquistaram Medalha de Ouro e melhores medianas, a fim de destacar a preferência dos jurados.

DESTAQUES SABRE DE OURO

Destaque Sabre de Ouro – Categoria Espumante Branco Charmat

Gazzaro Branco Espumante Brut – Vinícola Gazzaro (Flores da Cunha – RS)

Destaque Sabre de Ouro – Categoria Espumante Branco Tradicional

Pedrucci Espumante Brut Tradicional 2022 – Vinícola Pedrucci (Garibaldi – RS)

Destaque Sabre de Ouro – Categoria Espumante Rosé Charmat

Garibaldi Espumante Prosecco Rosé 2023 – Cooperativa Vinícola Garibaldi (Garibaldi – RS)

Destaque Sabre de Ouro – Categoria Espumante Rosé Tradicional

Salton Évidence Cuvée Espumante Brut Rosé – Vinícola Salton (Bento Gonçalves - RS)

Destaque Sabre de Ouro – Categoria Espumante Moscatel

Salton Espumante Moscatel – Vinícola Salton (Bento Gonçalves – RS)

Destaque Sabre de Ouro – Categoria Espumante Nature

Família Bebber Espumante Nature - Vinícola Bebber (Flores da Cunha – RS)

GRANDE MEDALHA DE OURO

1. I Love Wine Espumante Moscatel Branco – Antônio Basso & Filhos – Vinho Canção (Caxias do Sul – RS)

2. Monte Paschoal Dedicato Espumante Brut Champenoise – Basso Vinhos e Espumantes (Farroupilha – RS)

3. Casa Valduga Premivm Espumante Moscatel – Casa Valduga Vinhos Finos (Bento Gonçalves – RS)

4. Cave Antiga Espumante Moscatel 2018 - Cave Antiga Vitivinícola (Farroupilha – RS)

5. Garibaldi Vero Espumante Brut Rosé 2023 – Cooperativa Vinícola Garibaldi (Garibaldi – RS)

6. Valmarino Espumante Brut Tradicional 2018 – Estabelecimento Vinícola Valmarino (Pinto Bandeira – RS)

7. Dom Naneto Espumante Moscatel Rosé – Indústria Vinícola São Luiz (Garibaldi – RS)

8. Miolo Iride Espumante Nature - 10 anos Surlie 2012 – Miolo Wine Group (Bento Gonçalves – RS)

9. Chandon Passion – Möet Hennessy do Brasil (Garibaldi – RS)

10. Biografia Espumante Brut Rosé 2017 – Vinícola Máximo Boschi (Bento Gonçalves – RS)

11. Casa Perini Espumante Branco Cristal Demi-Sec – Vinícola Perini (Farroupilha – RS)

12. Fenice Espumante Nature Branco 2018 – Vinícola Santa Augusta (Videira – SC)

13. Zanella Espumante Blanc de Blanc Brut – Vinícola Zanella (Antônio Prado – RS)

RESULTADO COM RELAÇÃO DOS 30% PREMIADOS EM ANEXO.

PAINEL DE DEGUSTADORES

  1. Adalberto Bortolini – Enólogo

  2. Ana Cristina Mokdeci – Sommelier

  3. André Gasperin – Presidente de Júri

  4. André Mendes – Jornalista

  5. Carlos Zanus - Enólogo

  6. Cedenir Fortunatti – Enólogo

  7. Cláudia A. Stefenon – Presidente de Júri

  8. Daniel Dalla Valle – Enólogo

  9. Diego Grison - Enólogo

  10. Éder Caldart - Enólogo

  11. Elise Bourgiognon – Enóloga

  12. Emmanuel Vinícius Abreu – Sommelier

  13. Fábio Greghy - Jornalista

  14. Felipe Machado – Jornalista e sommelier

  15. Fernanda Spinelli - Enóloga

  16. Fernando Lima - Sommelier

  17. Flávio Novello – Enólogo

  18. Flávio Pizzato – Enólogo

  19. Flávio Zílio – Enólogo

  20. Gilberto Pedrucci – Presidente de Júri

  21. Gilberto Simonaggio – Presidente de Júri

  22. Gleybson A. da Silva - Sommelier

  23. Gustavo Postingher - Enólogo

  24. Heleno Facchin - Enólogo

  25. Irineo Dall’Agnol – Enólogo

  26. Ismar Pasini – Enólogo

  27. João Valduga – Enólogo

  28. Jorge Cattani - Enólogo

  29. Júlio César Kunz – Sommelier

  30. Laércio Spadari – Enólogo

  31. Leandro Santini – Enólogo

  32. Letícia Fensterseifer – Enóloga

  33. Luciano Scomazzon – Enólogo

  34. Magnos Basso - Enólogo

  35. Maicol Zanella - Enólogo

  36. Márcio Mortari – Enólogo

  37. Marco A. Salton – Enólogo

  38. Marcos Vian – Presidente de Júri

  39. Mário Lucas Ieggli – Presidente de Júri

  40. Michael Waller – Escritor e especialista em vinhos

  41. Michel Motter - Enólogo

  42. Michel Zignani – Presidente de Júri

  43. Nelson R. Randon - Enólogo

  44. Paula Schenato – Enóloga

  45. Pri Matta – Jornalista

  46. Rodi Goulart – Enólogo

  47. Samuel Cervi - Enólogo

  48. Sérgio Chesini - Enófilo

  49. Suzana Barelli – Jornalista

  50. Talita Verzeletti – Enóloga e sommelier

  51. Vanderlei Gazzi - Enólogo

  52. Vanessa Stefani – Enóloga

  53. Wallace Gonçalves Neves - Sommelier

  54. William Vaccaro - Enólogo


Fotos: Jeferson Soldi

Comments


bottom of page