top of page
  • Foto do escritorCris Jardim

Corte Brasileiro, o primeiro vinho do Brasil elaborado via financiamento coletivo, chega ao mercado

Projeto teve início em 2020 e apoiadores acompanharam todo o processo de elaboração

Compartilhar momentos e unir pessoas são características que sempre estiveram presentes na essência do vinho. Apaixonados pela bebida, o enólogo Alexandre Chaves e os executivos Andrei Dalla Vecchia e Mouses Marcolin Fontoura decidiram levar essa premissa ao extremo, dividindo com outros aficionados cada etapa da produção do primeiro rótulo brasileiro elaborado via financiamento coletivo. Lançado em 2020, o projeto da Bodega Três Amigos tem seu ponto alto neste mês de setembro, com a chegada ao mercado do Corte Brasileiro, um tinto que, conforme Chaves, representa o coração do negócio. Ao todo, foram mais de 90 apoiadores de 12 Estados (Alagoas, Bahia, Espírito Santo, Minas Gerais, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Paraná, Rio de Janeiro, Rio Grande do Sul, Santa Catarina, São Paulo e Sergipe), além do Distrito Federal.


“Fomos em busca de meios para a realização do nosso sonho. O Corte Brasileiro, é um resumo dessa perseverança e união que fazem parte da nossa cultura. Queremos também levantar essa bandeira do vinho nacional. Não existe hoje no mercado um corte brasileiro, mas diversos cortes que tentam reproduzir o perfil de diferentes regiões. Então por que não um corte nosso, que eleve e mostre ao mundo o que o vinho brasileiro é capaz?”, provoca o enólogo.


Ele acrescenta que o projeto da Bodega Três Amigos surgiu quando o trio fazia o próprio vinho artesanalmente, ainda em baldes plásticos. “Apesar da maneira simples e com poucos recursos, ficava excelente. O principal objetivo da ‘vaquinha’ foi arrecadar fundos e compartilhar essa experiência de produzir o vinho com mais pessoas”, afirma.

O Corte Brasileiro

O produto é composto pelas variedades Touriga Nacional (casta portuguesa), Merlot (casta francesa) e Ancellotta (casta italiana), originadas em culturas que, em diferentes graus, influenciaram a cultura brasileira e, no caso da italiana, a região da Serra Gaúcha. As uvas foram adquiridas de um pequeno produtor e vinificadas na origem, em Encruzilhada do Sul, na Serra do Sudeste do Rio Grande do Sul. “Optamos pela cofermentação, fermentando as três variedades juntas no mesmo tanque. Buscamos realizar os processos tradicionais dos grandes vinhos, com utilização de gelo seco para estender a maceração a frio por 48 horas, visando maior extração de cor e aromas. Após, seguimos a fermentação sob temperatura controlada entre 22ºC e 28ºC. Em seguida, transferimos para as barricas de carvalho francês e americano, blend de madeiras que agregam muita complexidade e textura. Após mais de 400 dias de maturação, engarrafamos”, descreve Chaves.


Foram elaboradas 1.000 garrafas do Corte Brasileiro com passagem por barrica e 1.100 sem amadurecimento em madeira. Os apoiadores já receberam suas garrafas. O saldo será disponibilizado para venda aos consumidores ao valor de R$ 369 a versão barricada e R$ 282 a opção sem passagem por madeira. A comercialização será no site www.bodegatresamigos.com.br.


O financiamento

Para aderir ao crowdfunding, cada apoiador pôde escolher diferentes modalidades de investimento, com a aquisição de uma até seis garrafas, ao custo de R$ 150 cada. Na mais completa, os investidores receberam amostras para degustar o vinho durante o processo de elaboração. A cada etapa, os participantes do financiamento coletivo eram informados, em tempo real, por meio de um perfil exclusivo no Instagram e de um grupo no WhatsApp.

“Queremos mostrar que é possível atravessar as adversidades com criatividade e ousadia, o que é também uma característica brasileira por excelência, além de elevar o padrão do vinho nacional e mostrar que essa cultura é nossa também, que nossos vinhos podem ser excelentes e que todas as vinícolas devem se orgulhar de produzir aqui”, completa Chaves.

Fotos

Corte Brasileiro foi elaborado com uvas cultivadas em Encruzilhada do Sul

Alexandre Chaves, Mouses Marcolin Fontoura e Andrei Dalla Vecchia são os nomes à frente da Bodega Três Amigos

Créditos: Augusto Tomasi, Vagão Filmes, divulgação


bottom of page